16/05/2017

A governadora em exercício do Estado do Piauí, Margarete Coelho, o secretário de Administração e Previdência (SeadPrev), Franzé Silva, o secretário de Estado de Desenvolvimento Rural (SDR), Francisco Limma e a superintendente de Parcerias e Concessões do Estado do Piauí (Suparc), Viviane Moura fizeram nesta segunda-feira, 15, a entrega simbólica da chave do entreposto para a direção da concessionária que passa a administrar a Nova Ceasa por 30 anos.

Essa etapa faz parte do cumprimento da primeira etapa do Plano Emergencial da Central de Abastecimento do Piauí que tem um prazo de 90 dias de execução. A concessionária que ganhou a licitação realizada pelo Governo do Estado administrará o entreposto a partir desta data, investirá, nos primeiros noventa dias, R$ 1,2 milhão em obras de organização e estruturação do local, mutirões de limpeza, construção de três novos estacionamentos e reforço na segurança da central piauiense.

De acordo com a superintendente de Parcerias e Concessões do Estado do Piauí, Viviane Moura, o Estado passa agora a ser o fiscalizador do contrato através de um Comitê de Monitoramento formado em sua maioria por funcionários da secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural (SDR) e membros da superintendência de Parcerias e Concessões do Estado do Piauí (Suparc).

PROJETO NOVA CEASA

O projeto da Nova Central de Abastecimento vai transformar o espaço num entreposto moderno e eficiente, com investimentos iniciais nos primeiro dois anos do contrato recursos da Concessionária na ordem de R$ 46.468.830. Pelos os estudos desenvolvidos pela superintendência de Parcerias e Concessões, o Estado receberá ainda uma outorga mensal de 3,5% sobre o faturamento bruto do mês, após o segundo ano de contrato. O projeto terá o prazo de 30 anos, com possibilidade de prorrogação por mais 5 anos.

O projeto de modernização será realizado em três etapas: A primeira corresponde à preparação do terreno, a construção da infraestrutura de água, esgoto, eletricidade, cabeamento lógico, dentre outros, construção dos seis novos galpões, nova portaria, hortomercado e estruturação do estacionamento de motos e bicicletas.


Na segunda etapa, haverá transferência dos permissionários, uma parte dos varejistas será transferida para o galpão próprio, com acesso direto ao consumidor final e os demais permissionários de frutas e hortaliças serão alojados nos novos galpões. A terceira etapa corresponde à reforma completa da atual estrutura para abertura de dois novos galpões, reforma e melhoria dos antigos galpões e construção do novo galpão da banana.