Desinibida, destemida e ávida por conhecimento. Essas são algumas das características que fazem da fazendária Sílvia Maria Assis, coordenadora de Ensino Presencial da UCS, mestre de cerimônias oficial dos eventos da Sefaz. A fazendária não tem medo de assumir novos desafios e de se preparar para executar tarefas diferentes. A função surgiu por acaso na vida de Sílvia, que decidiu se capacitar para desempenhar esse papel cada vez mais com desenvoltura. Desde 2010, quando começou a ser mestre de cerimônias nos eventos da Secretaria, incluindo as Reuniões de Metas, já participou de mais de 20 atividades.

“Na verdade, não fui eu que descobri ter vocação para isso, me descobriram. Com as necessidades do dia a dia, as coisas vão acontecendo. Quando era coordenadora de ensino a distância e organizava as videoconferências no IAT, sempre precisava de alguém para fazer a abertura das reuniões. Um dia, o colega que ficava responsável por esta tarefa adoeceu e eu tive que assumir o posto. Foram acontecendo outras videoconferências e eu fui tomando gosto pela coisa”, relembra.

Falar em público não é problema para Sílvia, que acabou de concluir um curso de cerimonial para eventos públicos e aprendendo técnicas para melhorar a dicção. “Sou destemida, não tenho medo e também não fico nervosa. Quando não é possível contratar mestre de cerimônias nos eventos, eu fico feliz em poder ajudar. Mas tem que ter jogo de cintura. Vejo que estou melhorando a cada dia. Eu me preparo, gosto de desafios. Diferente do que faço no dia a dia, procuro falar de forma pausada nos eventos. Quando as coisas vão surgindo eu vou me capacitando. Hoje estou aprendendo a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) que pretendo agregar a essa nova competência. Cada desafio profissional me estimula a me capacitar ainda mais”, conta.

Poder conhecer novas pessoas e adquirir mais conhecimento foram alguns dos motivos que levaram Sílvia a querer investir na função de mestre de cerimônias. “Ser mestre de cerimônias é muito bom porque adoro conhecer pessoas, rever os colegas e também gosto muito de aprender. São duas coisas que me movem: o aprendizado e o relacionamento interpessoal”.

Trajetória

Sílvia ingressou na Sefaz em 1982 – já tem 35 anos de Fazenda -, na antiga Coordenação de Desenvolvimento Econômico-Fiscal (Codef), localizada no prédio-sede. Depois atuou no Serviço de Modernização e Informatização (SMI), setor que hoje se tornou a atual Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI). Como possuía especialização em Recursos Humanos, em 1996 foi para a Diretoria de RH, que em 2005 originou a UCS. Na UCS, assumiu a Coordenação de Ensino a Distância de 2009 a 2011 e depois a Coordenação de Ensino Presencial, onde permanece até hoje.

Fonte: Ascom Sefaz