Clique aqui para ver as fotos.

A primeiras oficinas do Programa Gestão do Conhecimento (PGC) da Sefaz foram realizadas nos dias 29 e 30, na Universidade Corporativa do Serviço Público – Unidade Fazenda (UCS/SGF), com os servidores das áreas de fiscalização, legislação e planejamento e gestão. No dia 29, os fazendários da Ifep Comércio e da Diretoria de Planejamento da Fiscalização (DPF), iniciaram as atividades. Já no dia 30, o trabalho foi feito com os servidores da Diretoria de Tributação (Ditri) e da Assessoria de Planejamento e Gestão (APG).

O encontro abordou, de maneira interativa, o conceito de gestão do conhecimento e apresentou aos servidores a metodologia e o cronograma das oficinas. Após a explanação teórica, os fazendários se reuniram em grupos para mapear os conhecimentos essenciais das unidades em que atuam, identificando aqueles que possuem maior relevância e baixo nível de disponibilidade, sob a orientação da consultora Rose Longo.

De acordo com a consultora, o resultado das oficinas foi muito satisfatório, pois contou com a participação ativa de todos os fazendários, que demonstraram interesse em colaborar com o programa e contribuir na construção dos projetos iniciais de implantação do PGC nas respectivas unidades. Ela destaca que as oficinas têm como objetivo fazer com que os servidores compreendam a importância do PGC para a organização que  ao gerar mudanças como a disponibilização sistematizada dos conhecimentos estratégicos da Sefaz, terá como resultados o aumento da produtividade por meio da melhoria dos processos organizacionais, incentivo ao  compartilhamento desses conhecimentos nas áreas de interesse, retenção e aumento do capital intelectual da organização e maior capacidade de inovação organizacional.

“É necessário socializar os saberes para converter conhecimento tácito em conhecimento explícito. A medida em que você compartilha o conhecimento, aumenta a base cognitiva da equipe, pois aquilo que eu sei ajuda o que o outro sabe de alguma maneira e isto faz com que o retrabalho diminua. Toda vez que eu guardo o que sei só para mim, acabo perdendo conhecimento. O objetivo de toda organização é chegar ao ponto em que todos façam a gestão do conhecimento naturalmente”, explica Rose Longo.

Segunda a Diretora, ao todo, serão quatro oficinas por área, com uma carga horária total de 16 horas. Os próximos encontros para os setores que já iniciaram as oficinas estão previstos para os dias 6 e 13 de dezembro. Já os servidores da Superintendência de Administração Financeira (SAF) e da Diretoria de Arrecadação (Darc) participarão das oficinas nos meses de janeiro e fevereiro.

Gestão do Conhecimento na Sefaz

O Programa Gestão do Conhecimento da Sefaz foi lançado oficialmente no dia 31 de outubro, com a realização de um seminário na sede da DAT-Metro que reuniu cerca de 120 gestores e servidores de todas as áreas da Secretaria. A iniciativa tem como objetivo salvaguardar as informações técnicas e operacionais da organização para compartilhamento futuro, e será viabilizada com recursos do Programa de Modernização e Fortalecimento da Gestão Fiscal (Profisco). O PGC terá a sua execução inicial sob a orientação de uma consultoria externa especializada no tema, e deve ser concluído em dezembro de 2018.

Nos dias 16 e 17 de novembro, foram realizadas entrevistas com 21 servidores das  áreas iniciais de implantação do PGC:  fiscalização (com servidores da DPF e Ifep Comércio), legislação (contemplando Ditri e Consef) e APG. Nestas entrevistas, as consultoras Cecília Queiroz e Rose Longo tiveram a oportunidade de conhecer um pouco do trabalho desenvolvido por cada área, identificando os conhecimentos essenciais e a forma de atuação dos servidores no desempenho de suas funções no dia a dia.

De acordo com a Superintendência de Desenvolvimento da Gestão Fazendária (SGF), unidade responsável pela coordenação do Programa por meio da UCS, após a conclusão do trabalho da consultoria, a gestão do conhecimento será implementada em todas as áreas da Sefaz de forma gradual. Nessa nova fase, uma equipe de fazendários capacitados pela empresa contratada irá conduzir as ações.

“Cada projeto terá um gestor que acompanhará o desenvolvimento do trabalho, juntamente com a equipe técnica de GC da Sefaz, que também será multiplicadora da metodologia.  Quanto mais pessoas envolvidas, melhores serão os resultados do programa, pois poderemos multiplicar conhecimento e ampliar a participação de todos”, explica o superintendente da SGF, Félix Mascarenhas.

Fonte: Ascom Sefaz